13 hábitos que causam stress sem que você perceba

A rotina atribulada está te enlouquecendo? Você anda estressado e muito ansioso? Pois saiba que você pode ter culpa nisso. Sim, nós sabemos que você não está se sabotando de propósito (esperamos que não!), então aqui está uma lista rápida de coisas que você pode estar fazendo inconscientemente e que podem estar deixando tudo pior.

Respire fundo e tente relaxar. Talvez você esteja estressado(a) porque…
1. Você não deu risada hoje.

Se você não se lembra da última vez que riu até chorar, é melhor repensar suas escolhas de vida – e assistir a esse vídeo. Uma boa gargalhada alivia o stress, estimula a circulação sanguínea, relaxa os músculos, melhora o sistema imunológico e alivia a dor.

2. Você não está indo à academia.

Em um estudo com ratos, aqueles que se exercitavam responderam a um banho gelado com um rápido acesso de ansiedade, seguido de calma. Isso sugere que o cérebro fica mais bem preparado para lidar com o stress quando o corpo está fisicamente ativo. Fazer exercícios regularmente em vez de inventar desculpas pode ajudar você a reduzir seu stress. Além disso, sua aparência vai melhorar.

3. As músicas que você ouve não estão ajudando.

Diversos estudos já mostraram os benefícios relaxantes da música, mas cada um tem seu gosto. Sua professora de piano pode relaxar ao som de Debussy, mas talvez você prefira algo mais nostálgico como os Cranberries. Descubra qual é o seu som.

4. Você deixou aquela pia de louça suja para amanhã.

Pense em seus hábitos de limpeza. Seu quarto parece um cenário de guerra? Você costuma achar bananas estragadas no meio de um monte de papéis inúteis em cima da sua geladeira? O fundo da sua bolsa ou mochila é um cemitério de canetas quebradas? Manter suas coisas organizadas pode não ser a cura de toda a ansiedade, mas há evidências de que isso ajuda a aliviar o stress.

5. Sua vida sexual está deixando a desejar.

Se algo anda lhe preocupando, talvez você não tenha dado muita atenção a esse item, mas deveria! Sexo é a maior fonte de alívio de tensões que você vai encontrar nessa lista. Além de contar como exercício físico, ele pode ajudar você a relaxar. Pesquisadores da Universidade de Princeton descobriram em um estudo que ratos que copulavam diariamente apresentavam níveis menores de hormônios do stress. Além disso, já se sabe há muito tempo que macacos bonobos usam o sexo como uma ferramenta para gerenciar o stress.

6. Sua respiração precisa melhorar.

A respiração acelerada é uma resposta natural ao stress, mas se você não está diante de um predador voraz, ela se torna sua inimiga. Descubra um exercício respiratórioque funcione para você e lembre-se dele da próxima vez que começar a se preocupar com algo.

7. Você está tentando lutar contra seus fatores de stress.

O esforço é nobre, mas a verdade é que o mais racional a fazer é evitar o que estressa você, sempre que possível. Não gosta de multidões? Pare de ir ao supermercado no sábado à tarde. De acordo com a Clínica Mayo, você também pode evitar pessoas específicas. Talvez você já esteja fazendo isso com seus desafetos, mas agora não precisa sentir culpa ao fugir daquele colega de trabalho insuportável.

8. Você não diz nada de bom sobre si.

Reforçar constantemente sua autoconfiança (“tudo vai dar certo”, “não vou derrubar o bebê”) ajuda a reduzir a ansiedade. O cérebro é uma ferramenta poderosa: use-o.

9. Você está dormindo mal.

Se são 4h30 da manhã e você sabe que vai ter que se arrastar para fora da cama e ir para o trabalho em algumas horas, saia do Netflix. Não é hora de começar a assistir a uma série. Manter hábitos de sono regulares e saudáveis protege contra doenças cardíacas, alguns tipos de câncer e muitas outras doenças crônicas, além de melhorar sua percepção sobre sua vida e sobre si.

10. Você não consegue gerenciar seu tempo.

Se o número de tarefas que lhe aguardam em um dia comum é enlouquecedor, pense em quanto tempo você está dedicando a cada atividade. Planejar seu dia e estabelecer prioridades são coisas que podem ajudar nas suas decisões sobre o seu tempo, gerando uma sensação de maior controle sobre a vida. Se a procrastinação na internet é seu ponto fraco, essa extensão para o Google Chrome pode monitorar quanto tempo você gasta em cada site.

11. Você está aceitando mais tarefas do que dá conta.

Não tem problema em dizer “não” de vez em quando para aliviar a carga de suasresponsabilidades individuais. Desculpe, você não pode levar seu primo ao aeroporto, porque você já tem um jantar programado há semanas. Sinto muito, você não pode fazer um bolo para a festa de fim de ano da empresa porque vai precisar de muito tempo para prepará-lo.

12. Você não desgruda do seu celular.

Pare com isso. Pare de olhar para a tela. Você vai ficar bem (volte ao item que fala sobre mantras pessoais). Pesquisas mostram que a pressão de estar disponível para responder e-mails, mensagens de texto, telefonemas e estar a par de tudo pode ser demais. Faça um esforço consciente e desligue seu celular e seu computador durante algumas horas do dia.

13. Você acabou de atingir um objetivo importante.

… Mas por algum motivo você ainda está surtando! Muita calma (de qualquer forma, esperamos que você esteja atingindo objetivos de vida diariamente). Estudos com estudantes universitários demonstraram que metas “compassivas” (que beneficiam outras pessoas além de você) geram maior redução da ansiedade pós-conquista do que as mais individualistas. Em outras palavras: seja uma pessoa melhor, pois isso vai fazer com que se sinta melhor também.

Mais uma dica: se você precisar de um alívio extra, experimente mascar chiclete, fazer carinho em um filhote fofinho ou preparar uma xícara de chá.

Já está se sentindo melhor?

Anúncios

11 tipos de terapias alternativas para aliviar a dor e o estresse

As terapias alternativas combatem dores, aliviam o estresse, ajudam a emagrecer e tratar a depressão. Descubra qual é a mais indicada para você

Reduza as dores e o estresse do dia-a-dia

Aliviar o estresse, combater dores e até auxiliar no tratamento da depressão: esses são alguns dos benefícios que as terapias alternativas podem trazer para o seu corpo. Conheça 11 técnicas e torne o seu dia-a-dia mais saudável. 

 

  • Acupuntura

A Acupuntura é uma terapia oriental chinesa que consiste no estímulo de pontos espalhados pelo corpo, chamados de “Pontos de Acupuntura” ou “Acupontos”. Essa técnica ajuda a combater enxaqueca, cólica, fibromialgia, estresse, e auxilia, até mesmo (!), no emagrecimento.

  • Shiatsu

O Shiatsu é um método terapêutico milenar que visa restabelecer a saúde através do toque. A técnica consiste em pressionar, com as mãos e dedos, os pontos vitais do corpo, chamados de meridianos. O Shiatsu pode ter diversas aplicações que vão desde dificuldades de evacuação, controle da TPM até mesmo na prevenção de gripes e pneumonia.

  • Aromaterapia

A aromaterapia é um ramo da fitoterapia que utiliza óleos de plantas para o tratamento de desequilíbrios emocionais. Ela se baseia no efeito psicológico que os aromas produzem nas pessoas. A técnica auxilia no controle do estresse, tratamento de dores e desequilíbrios emocionais.

  • Musicoterapia

Muitas pesquisas comprovam que a música, além de alegrar e relaxar, também possui propriedades terapêuticas. Daí surgiu a Musicoterapia que utiliza as propriedades do som com fins terapêuticos. A técnica pode ajudar as pessoas a se comunicar e melhorar seus relacionamentos, e também ajuda a aliviar sintomas causados por doenças.

  • Yoga

Yoga é uma prática de meditação que associa o bem-estar mental ao condicionamento físico. O método traz benefícios como reajuste postural e melhora na qualidade do sono, combate a insônia e ameniza problemas circulatórios e de memória.

  • Reiki

O Reiki é uma palavra japonesa que significa Energia Vital Universal. O método Reiki consiste em canalizar esta energia, através da imposição das mãos. Como funciona: o reikiano (pessoa capacitada para aplicar a técnica) faz uma mentalização de símbolos e mantras. Esse ritual libera uma energia que entra pela cabeça do reikiano, passa pelo chacra do coração e sai por suas mãos, entrando diretamente no chacra da pessoa em tratamento, no ponto em que ela está mais precisando.

  • Watsu

O watsu é uma terapia alternativa que faz um trabalho corporal dentro da água. Além da aplicação da técnica de pressão dos pontos vitais- a mesma do Shiatsu- ela conta com os benefícios terapêuticos da água aquecida.

  • Geoterapia

Segundo a medicina chinesa, sentimentos como medo, ansiedade e tristeza e certos alimentos podem levar a um acúmulo de umidade em determinadas regiões do corpo, desequilibrando a energia vital e comprometendo a saúde. Para prevenir e tratar o problema, os terapeutas aplicam argila, que absorve a umidade acumulada, principalmente no abdome, nas pernas e nas articulações.

  • Geobiologia

É uma técnica oriental que utiliza pedras e cristais coloridos para reequilibrar a energia corporal e, assim, prevenir e tratar problemas de saúde. As pedras são colocadas sobre os chakras (principais pontos de energia do corpo) comprometidos, fazendo com que recuperem a vibração e a frequência energética correta. As diferentes cores das pedras e dos cristais têm características próprias.

  • Quiropaxia

A quiropaxia identifica possíveis problemas na coluna vertebral e, através de massagens, procura corrigir desvios e remover os obstáculos que dificultam a chegada dos estímulos nervosos a certas partes do corpo, como braços, pernas e órgãos.

  • Acupressão

O método se vale dos mesmos pontos da acupuntura, mas dispensa as agulhas. A técnica ajuda a conter dores crônicas na região do pescoço, segundo pesquisadores japoneses.

É interessante procurar seu médico e um profissional da área para entender mais sobre cada prática e ver se é boa para seu perfil.

A receita da longevidade: sete atitudes para viver mais e melhor

Comer peixe e nozes, beber café e se casar são alguma das medidas que, comprovadamente, aumentam a expectativa de vida

Longevidade: Estudos recentes dão pistas sobre hábitos que acrescentam anos à expectativa de vida de uma pessoa

Adotar um estilo de vida saudável ajuda a ter uma vida mais longa e melhor. Alguns aliados da longevidade são a prática regular de atividade física e a alimentação equilibrada, assim como a distância de comportamentos prejudiciais, a exemplo de tabagismo e alcoolismo. O site de VEJA selecionou sete medidas que, segundo estudos publicados recentemente, podem indicar o melhor caminho para uma vida longeva.

 

  • Case-se:

Casar-se, ou simplesmente ter um companheiro ao longo da vida, pode acrescentar anos à vida de uma pessoa. Um estudo feito na Universidade Duke, nos Estados Unidos, com 4 800 pessoas descobriu que adultos solteiros correm um maior risco de morte prematura e, portanto, são menos propensos a chegar à terceira idade do que aqueles que vivem com um companheiro. Na pesquisa, as pessoas que nunca haviam se casado tiveram mais do que o dobro do risco de morrer precocemente do que as que viviam com um parceiro. Essa chance foi 60% maior entre aquelas que já tinham sido casadas alguma vez na vida

 

  • Beba café, mas com moderação:

Ingerir três xícaras de café todos os dias é suficiente para prolongar a vida de pessoas com mais de 50 anos. Um estudo do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos descobriu que essa quantidade da bebida é capaz de reduzir em 10% o risco de mortalidade em um período de doze anos nesse público. Além disso, outras pesquisas já associaram o café à proteção contra doenças como câncer de pele ederrame. Isso não quer dizer, porém, que as pessoas devam exagerar no café: a mesma pesquisa americana encontrou uma relação entre o excesso de cafeína e um maior risco de câncer entre homens.

 

  • Saia do Sedentarismo:

Muitas pesquisas já comprovaram que exercitar-se é um dos caminhos para viver mais. Um estudo dinamarquês de 2012, por exemplo, concluiu que a corrida leve pode aumentar a longevidade em até seis anos. Já uma pesquisa americana publicada no mesmo ano mostrou que atividades físicas de lazer, como caminhar ou pedalar no parque, é capaz de acrescentar até 4,5 anos na expectativa de vida de alguém. Os prejuízos do sedentarismo, no entanto, não são evitados apenas com os exercícios, mas também com a redução do tempo em que uma passa sentada em frente à televisão ou ao computador. Um estudo feito na Austrália e publicado em 2012 provou que o sedentarismo não só provoca doenças, como encurta a vida. A pesquisa avaliou 200 000 pessoas acima de 45 anos e descobriu que as que permaneciam sentadas por mais tempo tinham duas vezes mais chance de morrer em um período de três anos do que aquelas que ficavam sentadas por menos tempo ao longo do dia.

 

  • Inclua peixe no cardápio:

Um estudo da Universidade Harvard descobriu que pessoas com mais de 65 anos que desejam ter uma vida mais longa podem começar por incluir peixe no cardápio com maior frequência. O alimento, especialmente tipos como a sardinha, o salmão e o atum, é rico ômega-3, nutriente que já foi associado a benefícios à saúde cardiovascular. A pesquisa americana acompanhou 2 700 pessoas com 65 anos ou mais ao longo de 12 anos e concluiu que aquelas que apresentavam os maiores níveis de ômega-3 no organismo viviam, em média, 2,2 anos a mais do que quem nunca consumia o nutriente. A recomendação dos pesquisadores é o consumo de no mínimo duas porções por semana de peixes ricos em ômega-3.

 

  • Mesmo na velhice, adote um estilo de vida saudável:

Muitas pessoas podem pensar que uma maior longevidade se conquista com hábitos saudáveis seguidos ao longo da vida toda, mas uma pesquisa feita na Suécia concluiu que adotar um estilo de vida saudável já na velhice também contribui nesse sentido. O estudo analisou, ao longo de 18 anos, a sobrevivência de 1 800 idosos com mais de 75 anos e descobriu que não fumar, não beber em excesso e praticar exercícios pode aumentar em até cinco anos a longevidade, mesmo entre aqueles que têm alguma doença crônica.

 

  • Consuma nozes todos os dias:

Pesquisadores da Universidade Harvard chegaram à conclusão de que pessoas que comem nozes, amêndoas, castanhas, avelãs e outras oleaginosas todos os dias desfrutam de uma melhor qualidade de vida e tendem a viver por mais tempo. Em um estudo publicado em 2013, eles acompanharam cerca de 120 000 indivíduos ao longo de trinta anos e descobriram que, durante esse tempo, o risco de morrer foi 20% menor entre quem comia mais oleaginosas do que aqueles que nunca as consumiam. As oleaginosas contêm gorduras saudáveis e são ricas em fibras e proteínas, o que retarda a absorção do alimento e diminui o apetite. Por isso, seu consumo está associado a uma melhor alimentação e controle do peso, fatores benéficos à saúde em geral.

 

  • Coma mais vegetais e menos carne vermelha:

Um dos segredos da longevidade pode estar em seguir uma conhecida recomendação dos médicos: comer pelo menos cinco porções de frutas e vegetais todos os dias. Um estudo sueco publicado em 2013 acompanhou mais de 70 000 adultos durante 13 anos e descobriu que quem segue essa recomendação vive, em média, três anos a mais do que quem nunca consome frutas e vegetais. Além disso, segundo uma pesquisa da universidade americana Loma Linda, o risco de morte dentro de um período de seis anos chega a ser 12% menor entre vegetarianos em comparação com quem come carne. O consumo de carne vermelha por si só já foi associado a uma chance até 20% mais elevada de mortalidade. A conclusão faz parte de trabalho da Universidade Harvard publicado em 2012.