Tudo o que você precisa saber sobre anabolizantes

anabolizantes

O uso de anabolizantes vem se tornando, a cada dia, um hábito comum, principalmente pelas pessoas que praticam esportes, para aumentar a competitividade, ajudar na cura de lesões ou simplesmente por questões estéticas. Porém, o consumo excessivo desse tipo de produto é muito perigoso e pode causar danos irreparáveis ao corpo humano.

1.    Os esteróides androgênicos anabólicos, mas conhecidos como anabolizantes, é um produto derivado principalmente da testosterona, hormônio responsável por muitas características que diferem homem e mulher. Eles atuam no crescimento celular e em tecidos do corpo, como o ósseo e o muscular.

2.    O uso de anabolizantes gera efeitos colaterais, tanto em homens e mulheres, como:  aumento de acnes, queda do cabelo, distúrbios da função do fígado, tumores no fígado, explosões de ira ou comportamento agressivo, paranóia, alucinações, psicoses, coágulos de sangue, retenção de líquido no organismo, aumento da pressão arterial e risco de adquirir doenças transmissíveis (AIDS, Hepatite).

3.    No caso das mulheres, o uso de anabolizantes pode gerar características masculinas no corpo, como engrossamento da voz e surgimento de pêlos além do normal. Além disso, aumento do tamanho do clitóris, irregularidade ou interrupção das menstruações, diminuição dos seios e aumento de apetite.

4.    Nos homens, o excesso de anabolizantes pode causar aparecimento de mamas, redução dos testículos, diminuição da contagem dos espermatozóides e calvície.

5.    Em adolescentes, as consequências podem ser piores, como comprometimento do crescimento, maturação óssea acelerada, aumento da frequência e duração das ereções, desenvolvimento sexual precoce, hipervirilização, crescimento do falo (hipogonadismo ou megalofalia), aumentos dos pelos púbicos e do corpo, além do ligeiro crescimento de barba.

6.    Esses hormônios podem ser usados clinicamente e, ocasionalmente, serem prescritos sob orientação médica para repor o hormônio deficiente em alguns homens e para ajudar pacientes aidéticos a recuperar peso. Nos casos de necessidade clínica, os pacientes são indicados a tomarem apenas doses mínimas para apenas regularizar sua disfunção.

7.    O uso das injeções de anabolizantes esteróides pode levar ao risco de infecção pelo HIV e vírus da hepatite, se as agulhas forem compartilhadas. Esteróides Anabólicos obtidos sem uma prescrição não são confiáveis, pois podem conter outras substâncias, os frascos podem não ser estéreis e, além disso, é possível que nem esteróides contenham.

8.    Usar anabolizantes, sem orientação médica, é proibido, além de ser de grande risco para a saúde. Entretanto, por aumentarem a massa muscular, estas drogas têm sido cada vez mais procuradas e utilizadas por alguns atletas para melhorar a performance física e por outras pessoas para obter uma melhor aparência muscular.

9.    Um estudo de 2007 traçou o perfil do usuário de anabolizantes no mundo. De acordo com os dados, o usuário típico não é o adolescente ou o atleta, mas o homem de cerca de 30 anos, bem educado e com renda alta, segundo um estudo publicado hoje. Foram pesquisados 2.663 homens e mulheres de 81 países, indicando que o motivo principal para o uso desses compostos é o aumento da musculatura.

10.    Muitos atletas consomem anabolizantes a fim de conseguirem uma melhora na performance dentro do esporte. Os anabolizantes, quando entram em contato com as células do tecido muscular, aumentam o tamanho dos músculos do corpo humano. Porém, isso é caracterizado Doping, e o esportista pode ser punido por isso, como já ocorreu em inúmeros casos.  Dependendo da situação, o atleta pode ser banido do esporte.

 
 
Fonte: endocrino.org.br
Anúncios

Oito mandamentos para quem busca o equilíbrio na alimentação

equilíbrio na alimentação

Profissionais incrementam pirâmide dos alimentos, com água e atividades físicas.

 

Não é à toa que se fala em epidemia. Pra onde você olha. Pode ser em um shopping durante o dia. Ou no ponto de ônibus na hora da volta do trabalho, lá estão eles: os quilos a mais.

Um tormento para 52% das pessoas que vivem em São Paulo.

E quase sempre eles vêm acompanhados de velhas desculpas.

“Ah, casamento. eu era magrinho, eu era mais magro… e por aí vai.

Vamos acabar com isso, veja o que precisamos fazer para mudar os hábitos

A pirâmide é a base para o calendário saudável, uma tabela que funciona assim:

São oito tarefas que devem ser cumpridas todos os dias. Cada uma valendo um ponto.

– Comer de 3 em 3 horas
– Consumir alimentos integrais
– Beber ao menos dois litros de água
– Fazer exercícios
– Comer 3 frutas
– Duas porções de legumes ou verduras
– Uma porção de leite ou derivados
– Uma porção de proteína, pode ser carne, peixe ou frango

A soma diária dos pontos mostra se o dia foi verde ou saudável, se a conta deu amarelo, exigindo atenção, ou se o paciente está em alerta vermelho precisando mudar bastante seus hábitos.

Globo Repórter: E a palavra chave é a substituição?
Nutricionista do Posto: Substituição, disciplina e planejamento. Esse planejamento é muito importante. Sem o planejamento você acaba saindo da rotina e comendo o que não tá nos seus planos.

Um esforço que acaba rendendo grandes resultados.

Globo Repórter: Ela já tá botando calça jeans.
Noêmia Marques, esteticista: Eu não tava colocando uns meses atrás. Quando sentava parece que a gordura subia tudo no coração, dava falta de ar. Agora eu sento normal.

Paciente exemplar dona Iris agora está 20 quilos mais magra, ativa e uma verdadeira ativista do calendário saudável.

Globo Repórter: Mas foi difícil no começo?
Dona Iris: Ah, foi difícil, mas depois que eu comecei controlar, comecei ver que a minha saúde tava melhorando, aí me incentivou, agora eu faço com prazer a minha comida, não tenho preguiça de nada.

E é gente assim, como dona Iris, que aos poucos vai também provocando mudanças ao redor.

O pequeno comerciante da periferia de São Paulo estava acostumado a vender apenas o que o apetite dos jovens queria.

“Salgadinho, batata frita doce, bala, chocolate. eles chegam aqui, a primeira coisa que eles vê é esse chocolate aqui já vão comprando, conta o comerciante.

Mas há pouco mais de um ano.

“Foram pedindo fruta porque só tinha na feira, às vezes tinha 2, 3 dias por semana e aqui fez todo o dia a gente tem. Todo o dia a gente vai para o mercadão, traz fruta seca. Todo dia o pessoal desce, chega do trabalho 4, 5 horas e passa aqui e já compra”.

“Rapaziada não liga muito para isso, né? Talvez depois de uma certa idade é que eles vão acabar vendo que é verdade que a gente tem que consumir mais fruta”, diz o comerciante.

Tomara que a descoberta não demore demais.

 

Fonte: g1.globo.com