A Medicina Integrada

A Clinica Bio Vitta há muitos anos oferece um novo conceito em medicina para seus pacientes: o tratamento integrado entre as diversas especialidades médicas e terapêuticas.

Na Bio Vitta você encontrará acompanhamento com médico endocrinologista e equipe multidisciplinar composta por nutricionista, psicóloga e educador físico. Para o melhor acompanhamento e atendimento completo dos pacientes com obesidade, diabetes e doenças tireoidianas, mas também temos outras especialidades médicas como gastrocirurgia e cirurgia plástica.

Nosso objetivo é dar atenção e apoio médico total ao paciente que nos procura, portanto fazemos questão de que cada pessoa entenda sua doença ou problema de saúde,  como os exames solicitados, seus resultados e as propostas de tratamento, pois acreditamos que o paciente deve ter um papel ativo e consciente na busca de resolver um problema que o incomoda. Para isso, prestamos atendimento amplo e diferenciado em ambiente agradável, prezando a pontualidade, qualidade e bem estar dos nossos clientes.

O ambiente pode influenciar muito no tratamento oferecido. Nossa clínica se localiza em casa de alto padrão na região da Chácara Klabin na Vila Mariana para poder proporcionar um espaço agradável, acolhedor e terapêutico.

Contamos com duas salas de espera separadas, para que o paciente possa durante a permanência na clínica aproveitar todo o tempo com foco no seu tratamento, através de leituras educativas e som ambiente adequado para proporcionar o relaxamento adequado ao seu tratamento.

– Espaços separados para estética, terapia em grupo, realização de exames.

– Consultórios médicos amplos e decorados, com sala para exame físico reservada.
Salas para terapia individualizada.

Cirurgia Bariátrica: Mantenha a saúde e os resultados alcançados

Nos últimos anos, a cirurgia bariátrica, popularmente conhecida como cirurgia de redução do estômago, tem se tornado uma opção bastante importante de tratamento devido o número crescente de indivíduos com obesidade mórbida, ou seja, com Índice de Massa Corporal (IMC) maior que 40.
Apesar de ser um método muito efetivo para o controle da obesidade, uma parte das pessoas que passam por esse tratamento obtém resultados apenas parciais, como perda de peso menor do que o esperado ou recuperação prematura do peso perdido.
Para considerarmos que o tratamento cirúrgico foi satisfatório, é necessário que o paciente, após 5 anos da operação, tenha perdido pelo menos metade do seu excesso de peso. Isso significa que, para uma pessoa de 100kg cujo peso adequado é 60kg, por exemplo, a perda satisfatória será de no mínimo 20kg. Vale lembrar que a maior velocidade de redução do peso corporal ocorre nos primeiros seis meses após a cirurgia, caindo gradualmente a partir daí.
Estudos recentes, onde os pacientes foram acompanhados por vários anos após terem sido operados, verificaram que aproximadamente 20% deles têm algum grau de ganho de peso após a cirurgia. Observou-se também que esse número é menor nos primeiros anos e aumenta quanto maior o tempo pós-operatório.
Um ligeiro ganho de peso após a cirurgia bariátrica nem sempre compromete a saúde e pode refletir apenas uma adaptação do organismo. 
No entanto, recuperar 10% ou mais do peso mínimo que foi atingido é sinal de alerta. Para ter uma idéia do que isso significa, vamos retomar o exemplo anterior da pessoa com 100kg. Após perder os 20kg, atingindo 80kg, ela teria recuperado 8kg.
Nesses casos, e também quando a perda de peso não chega a ser satisfatória, o paciente deve avaliar as causas junto com a equipe multidisciplinar que o acompanha.
Entre os fatores que interferem na intensidade da perda de peso, estão algumas características do próprio organismo, como adaptações hormonais e no trato gastrointestinal que podem acontecer com o passar do tempo, reduzindo o efeito inibidor do apetite que tinha sido alcançado com a cirurgia.
Já foram investigados também certos comportamentos que favorecem a recuperação do peso após a cirurgia. São eles:
– padrão alimentar do tipo “beliscador”: ato de beliscar porções pequenas, que não promovem aquela sensação de “empachamento” característica da compulsão, prejudica a percepção do limite alimentar;
– manter um estilo de vida sedentário;
– cultivar expectativa de resultado rápido;
– não fazer o acompanhamento profissional corretamente no pós-operatório;
– perda de peso insatisfatória nos primeiros meses após o procedimento;
– fatores fisiológicos, como adaptações hormonais e no trato gastrointestinal que podem acontecer com o passar do tempo, reduzindo o efeito inibidor do apetite que tinha sido alcançado com a cirurgia.
O acompanhamento no pós-operatório não se resume a verificar a evolução do peso!
A partir do terceiro mês após a operação, a maioria dos pacientes já tem condições de se alimentar normalmente, respeitando a necessidade de mastigar muito bem os alimentos e de limitar o volume consumido em cada refeição.
Mesmo após a cirurgia existe a necessidade de acompanhamento e tratamento específico com equipe multidisciplinar.
Costumamos esquecer que a obesidade é uma doença crônica, de caráter progressivo, que pode ser controlada por diversos métodos (como o cirúrgico, do qual estamos falando), mas que não tem cura.
A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) e o Ministério da Saúde são taxativos ao recomendar que a cirurgia deve ser realizada dentro de um programa de tratamento com atendimento multidisciplinar (médicos, psicólogo, nutricionista entre outros).
A etapa pré-cirúrgica é fundamental para a preparação do paciente, levando em consideração os aspectos clínicos, nutricionais, psicológicos e promovendo um estilo de vida mais ativo.
A fase posterior ao procedimento exige um cuidado especial para prevenir complicações tanto cirúrgicas quanto nutricionais que podem ocorrer devido ao reduzido aporte calórico e à limitação na absorção de nutrientes.
As carências nutricionais mais comuns após a cirurgia bariátrica são das vitaminas A, D, B6, B12 e ácido fólico e dos minerais ferro e zinco.
Os sintomas dessas deficiências costumam ser inespecíficos e os sinais aparecem apenas quando já estão avançadas. Por essa razão, o paciente deve procurar seguir com bastante disciplina as recomendações alimentares pós-cirúrgicas e os níveis de vitaminas e minerais no organismo devem ser monitorados.
O médico, em geral um endocrinologista, realiza uma avaliação ampla da saúde e de sintomas comuns no pós-operatório, como fraqueza e queda de cabelo, alterações do funcionamento intestinal (constipação ou diarreia), vômitos, desidratação, síndrome de dumping (intolerância a alimentos com média a alta concentração de açúcares), intolerâncias alimentares (como carnes, por exemplo), entre outros. Ele solicitará exames específicos, avaliando a necessidade de prescrição de medicamentos e/ou suplementos e de encaminhamento para outras especialidades, como cardiologista.
Com relação à alimentação, a partir do terceiro mês após a operação, a maioria dos pacientes já tem condições de se alimentar normalmente, respeitando a necessidade de mastigar muito bem os alimentos e de limitar o volume consumido em cada refeição. As orientações nutricionais visam auxiliar o paciente a manter bons hábitos alimentares, substituindo alimentos para os quais houver intolerância, realizando os ajustes necessários para suprir e prevenir carências nutricionais, sinalizando ao médico os nutrientes para os quais a ingestão está insuficiente, que avaliará se convém a suplementação.
As consultas médicas e nutricionais são realizadas em geral semanalmente no primeiro mês pós-cirúrgico, mensalmente até completar o primeiro ano após o procedimento e a cada três meses no segundo ano, podendo passar a ser semestrais a partir daí.
 
A freqüência do acompanhamento no segundo ano após a cirurgia será maior ou menor, dependendo do grau de adesão apresentado pelo paciente às recomendações alimentares e de atividade física, e do grau de melhoria ou controle alcançado no tratamento das doenças associadas ao excesso de peso, como hipertensão e diabetes.
O acompanhamento psicológico após a cirurgia é um fator de grande importância no apoio às mudanças de comportamento necessárias e para lidar com as expectativas e as mudanças corporais.
A cirurgia bariátrica no Brasil
Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), o volume de cirurgias realizadas no país em 2012 atingiu o marco de 72 mil operações.
O bypass gástrico (figura ao lado) é a técnica bariátrica mais praticada no Brasil, devido a sua segurança e, principalmente, sua eficácia. Esse procedimento leva à redução do peso corporal pela combinação de duas estratégias: o grampeamento de parte do estômago, que reduz o espaço para o alimento, e um desvio da porção inicial do intestino, que influencia na liberação de certos hormônios responsáveis pelo sinal de saciedade, reduzindo a fome. Além do emagrecimento, a cirurgia tem impacto positivo no controle do diabetes e outras doenças, como a hipertensão arterial e apneia obstrutiva do sono.
Fonte: www.scielo.br/pdf/ramb/v57n1/v57n1a25.pdf 

Endocrinologistas: Conheça o que eles podem fazer por sua saúde.

endocrinologia

Reposição Hormonal da Menopausa – A reposição hormonal é um tratamento eficaz, feito com hormônios iguais aos da própria mulher, para amenizar o desconforto e riscos causados pela menopausa.

Obesidade – A obesidade representa um risco para a saúde as crianças e dos adultos. O tratamento orientado pelo especialista evita uma série de complicações, como as cardiovasculares e as ortopédicas.

Crescimento – Uma criança saudável tem um crescimento normal O crescimento deficiente ou excessivo pode ocorrer em função de alterações hormonais, nutricionais ou genéticas.

Excesso de Pêlos – Mulheres com excesso de pêlos na face (hirsutismo), acne ou aumento da musculatura podem estar com produção excessiva de hormônios masculinos.

Doenças da Glândula Supra-Renal – Aumento de peso, estrias avermelhadas, pêlos excessivos, pressão alta ou baixa, puberdade precoce, além do escurecimento da pele, podem significar problemas na glândula supra-renal.

Distúrbios da Puberdade – Crianças que desenvolve precocemente pêlos pubianos, odor axilar e têm desenvolvimento das mamas apresentam distúrbios hormonais e necessitam avaliar a origem do problema. Os adolescentes que não desenvolvem essas características também necessitam de uma avaliação.

Distúrbios da Menstruação – Alterações no ciclo menstrual (falta de menstruação ou menstruação mais de uma vez ao mês) podem significar problemas hormonais. Por isso, necessitam de investigação e tratamento adequado.

Doenças da Hipófise – Tumores da hipófise podem levar à presença de leite nas mamas, fora do período de amamentação, além de mudanças faciais, aumento do numero do sapato, dores de cabeça e distúrbios da visão.

Diabetes – Se você tem excesso de peso, parentes com diabetes, hipertensão ou alterações da gordura no sangue, procure um endocrinologista. Você pode ficar com diabetes. Mas, se você bebe muita água, urina muito e perde peso, pode estar com diabetes.
Colesterol e Triglicerídeos – A alimentação inadequada e algumas doenças podem levar ao aumento do colesterol e dos triglicerídeos em adultos e crianças. Com um tratamento adequado, o risco de futuras complicações cardiovasculares é reduzido.

Osteoporose – A osteoporose é uma doença endócrina. Dores nos ossos e fraturas freqüentes podem significar enfraquecimento ósseo. Procure seu endocrinologista. Ele pode diagnosticar e indicar o tratamento adequado.

Andropausa – Os hormônios masculinos podem diminuir quando o homem envelhece. Nesse caso, algumas pessoas podem sentir cansaço, diminuição da força muscular e disfunção sexual, necessitando da ajuda do especialista para fazer reposição hormonal.

Tireoide – Nódulos ou aumento do volume do pescoço, nervosismo, insônia e alterações no ritmo intestinal, coração acelerado ou desacelerado, perda ou ganho de peso e excesso de frio ou calor podem revelar distúrbios da tireoide.

Fonte: Conteúdo adaptado de folheto informativo

Calorimetria Indireta

O que é a Calorimetria Indireta?

A calorimetria indireta é um exame utilizado para medir a taxa metabólica de repouso. O organismo consome uma quantidade fixa de oxigênio por cada caloria oxidada. Pela diferença entre a quantidade de oxigênio no ar inspirado e expirado, o aparelho calcula com precisão quantas calorias o corpo está “queimando” naquele momento. Cada pessoa tem a sua própria taxa metabólica de repouso. Duas pessoas com mesma idade, sexo, peso e altura provavelmente terão metabolismos energéticos diferentes.

 

O que é a taxa metabólica de repouso?

A taxa metabólica de repouso representa em torno de 70 a 80% do gasto energético total e se refere às calorias gastas pelo corpo para manutenção das funções básicas no repouso, como os batimentos cardíacos, respiração, controle da temperatura corporal, etc. O restante do gasto energético provém das calorias gastas na digestão dos alimentos (10%) e com a atividade física diária (15-20%).

 

Como é feito este exame? 

O exame é realizado em consultório, dura aproximadamente 20 minutos. É necessário que o paciente esteja em repouso, em ambiente calmo e completamente relaxado. Consumo de alimentos, atividade física intensa, situações estressantes e uso de estimulantes (cafeína, por exemplo) podem elevar o metabolismo e devem ser evitados nas horas que antecedem o exame. Durante o procedimento, após a colocação de um clip nasal para impedir que o ar expirado saia pelas narinas, o paciente é orientado a respirar por um bocal que leva o ar diretamente ao aparelho para que a quantidade de oxigênio eliminada seja medida. Este processo dura de 10 a 15 minutos. Os dados fornecidos são então inseridos em um programa de computador que irá fornecer a taxa metabólica de repouso do paciente em Kcal/dia.

 

Como avaliar os dados fornecidos pela calorimetria? 

A taxa metabólica de repouso do paciente, obtida no exame, é comparada com a taxa metabólica que seria esperada para uma pessoa de mesmo sexo, idade, peso e altura. Uma variação de até 10% para mais ou para menos é considerada normal. Pessoas com metabolismo lento – abaixo da variação normal – têm mais facilidade de ganhar peso pois necessitam de menor quantidade de alimentos para suas funções orgânicas. Nestes casos, várias estratégias de tratamento como o tipo de dieta, uso de suplementos e algumas mudanças de estilo de vida podem ser utilizadas para promover um aumento do metabolismo de repouso e consequente melhora dos resultados. Por outro lado, em pessoas com metabolismo normal ou aumentado, o tratamento do excesso de peso será direcionado para a quantidade de calorias ingeridas e, em alguns casos, no controle do apetite ou compulsão.

 

Equipe Bio Vitta 

Combinação com o Pilates

pilates

 

Nosso Diferencial

Nossa metodologia combina o Pilates e outras técnicas de movimento, como estabilização segmentar realizando exercícios de forma progressiva, respeitando o grau da lesão e a individualidade de cada um, iniciando pelo fortalecimento e controle dos músculos mais próximos a articulação até exercícios mais elaborados e com um maior grau de dificuldade,  Pilates funcional que consiste em trabalhar o corpo usando a funcionalidade, trazendo o aprendizado para as atividades de vida diárias, sempre com o acompanhamento de profissionais altamente qualificados e equipamentos de ponta.

Nossas aulas são personalizadas e desenvolvidas de acordo com a individualidade de cada aluno, que são definidas após uma analise com destaque para os programas específicos para atletas, gestantes, idosos e sedentários.

As aulas são realizadas individualmente ou em grupos de no máximo 3 pessoas, e conduzidos por fisioterapeutas com  duração de 60 minutos.

Ideais:

O Pilates é uma técnica que vem sendo cada vez mais reconhecida principalmente pelos seus benefícios, aprendendo como ter controle, consciência corporal e harmonia do corpo faz com  que nossas atividades diárias se tornem mais fáceis e sem dores ou futuras lesões. Acreditando nisso faço com que meu trabalho seja sempre personalizado visando estar atenta a cada dialogo corporal reconhecendo em cada pessoa, um potencial único e um caminho de acordo com seu padrão de funcionamento. Este é o nosso pensamento, e através dele, iremos ajudá-lo na escolha da atividade mais adequada, visando não só um tratamento, mas um trabalho educativo e preventivo.

O Studio-

Nosso Studio foi idealizado para ser um local destinado a promover o bem-estar e a saúde física e mental de quem o frequenta. É um espaço direcionado ao aprimoramento individual para se chegar ao reequilíbrio, harmonia e autoconhecimento.

Possuímos infraestrutura completa e exclusiva para a prática do método. Ambiente tranquilo e aconchegantes,  equipado com os melhores aparelhos do mercado.

Massagens Terapêuticas


massagem-relaxanteRECUPERAÇÃO E RELAXAMENTO

A massagem terapêutica descontrai o físico,

equilibra o emocional e o energético, aliviando

as tensões provocadas no  dia-a-dia.

 Em termos físicos, a massagem destina-se a melhorar os sistemas circulatórios, muscular e nervoso e a ajudar o corpo a assimilar os alimentos e a eliminar os produtos residuais, eliminando líquidos ajudando no processe de emagrecimento.

Em termos psicológicos e emocionais, os seus efeitos calmantes e tranquilizantes contribuem para a melhoria do bem-estar emocional.

massagem

Durante a  Massagens Terapêutica são usados óleos especiais de massagens, pomadas analgésicas,  anti-inflamatórias , cremes hidratantes que trazem relaxamento ao organismo.

Tipos de massagem:

Pedras Quentes

Hidratação Corporal

Candle Massage

Shiatsu

Energizante dos Chakras

Reflexologia

Ayurvédica

Destoxidrenante

Massagem Relaxante

Coaching e Terapia

coaching

A maioria das pessoas que vem ao meu consultório para emagrecer já teve a experiência de iniciar dietas e desistir delas durante anos. Todas elas têm algo em comum: uma proposta de mudança alimentar através de dieta ou medicação, porém sem uma proposta que trabalhe o seu comportamento e pensamento em relação a comida e alimentação.

Atenção especial deve ser destinada a identificar comportamentos alimentares patológicos como: transtorno de ansiedade generalizado (TAG), bulimia nervosa, anorexia nervosa, transtorno da compulsão alimentar periódica (TCAP), depressões atípicas e parassonias. O TCAP está presente em 30% das pessoas obesas que buscam por tratamento antiobesidade e algo como 45% dos candidatos às cirurgias antiobesidade

A proposta AKTA liv tem como 3 pilares, a alimentação, metabolismo e comportamento.Apresentamos aqui um breve resumo dos tópicos abordados que são necessários para alcançar uma mudança definitiva na forma com que comemos.

1. Quantificação da Motivação

É importante a distinção entre a manifestação da vontade de perder peso,presente na totalidade pessoas que se apresentam para tratamento, e a real disponibilidade, presente na minoria destas pessoas, para se engajar em programas que modificarão em sua essência o estilo de vida desadaptativo.

2. Automonitorização

A auto monitorização dos comportamentos visados é feita comumente através de um recordatório, onde o registro de vários aspectos, entre eles alimentares e de cognições e afetos associados, é obtido. Técnicas na qual o paciente aprenda a se olhar e enfrentar barreiras são inseridos com o objetivo de que o paciente aprenda a não perder o controle novamente em situações futuras.

3. Definição dos Objetivos

Determinar a velocidade de perda de peso dentro da realidade metabólica e social individual é importante para estabelecer compromissos e evitar frustrações com desmotivação. Reaprender a sentir fome e saciedade,assim como a interrupção dos episódios de compulsão alimentar. Estabelecer mudanças saudáveis do estilo devida para um bem estar e equilíbrio geral.

4. Reestruturação Cognitiva – Identificação de Barreiras

Pensamentos automáticos negativos ou autodepreciativos, pensamentos do tipo tudo ou nada (chamados dedicotômicos), mitos nutricionais, desculpas e racionalizações que promovamos hábitos desadaptativos devem ser identificados, questionados ou desfeitos e, finalmente, substituídos por outros, mais adequados.

5. Atuação na Imagem Corporal

A insatisfação com a imagem corporal é constante entre pacientes obesos, notadamente naqueles com episódios de comer por ansiedade. Muitos pacientes não conseguem ter a percepção de sua realidade, tanto do ponto de vista de imagem corporal como do ponto de vista de saúde. Trabalhar a imagem corporal real durante o processo de perda de peso é fundamental para a satisfação e manutenção dos resultados.

 

 6. Controle do Estímulo – Técnicas de Vontades, Limites e Escolhas

O controle do estímulo visa reduzir a ingestão calórica através de técnicas que permitem controlar a exposição do paciente a estímulos ambientais, comportamentais ou cognitivos que deflagramos comportamentos que se deseja modificar.Ao mesmo tempo, tenta-se aumentara exposição aos estímulos que favorecem esta modificação.

7. Resolução de Problemas – Técnicas de Enfrentamento

Técnicas de resolução de problemas são ensinadas aos pacientes: estes aprendem a identificar situações que funcionam como os gatilhos e, a partir disto, são estimulados a criar em possíveis soluções, a selecionar uma delas e a avaliar o resultado obtido.

8. Prevenção de Recaída

Desvios ou “escorregões” fazem parte do processo de perda e manutenção de peso. Ensina-se a prever situações nas quais estes desvios têm alta chance de ocorrer e estratégias para se lidar com eles.O objetivo desta técnica é evitar que um desvio se transforme em um desencadeante de recaída ao entrarem circuitos cognitivos negativos.

Equipe Bio Vitta